quarta-feira, 16 de abril de 2014


Há alguns dias nós contamos para você cinco contos de fadas que não tinham finais felizes, o que nos faz lembrar que, de fato, nem sempre essas histórias são dedicadas ao público infantil. O fato é que ainda há outras narrativas maluquinhas que nós queremos contar para você, então, sem mais delongas, confira algumas delas a seguir e depois nos conte qual é a sua favorita:

1 – O Pássaro de Fitcher

Esta é uma história dos Irmãos Grimm. Tudo começou quando um pedinte especializado em sequestrar mocinhas chegou à casa de três irmãs. Ele convenceu a mais velha a deixá-lo entrar e, assim que teve a primeira oportunidade, forçou a pobre menina a ir embora com ele. A moça foi com ele até a casa de ouro que homem tinha, onde ele prometeu que daria o que ela quisesse, contanto que ela topasse se casar com ele.

Logo depois do “pedido de casamento”, o homem disse que deveria sair de casa, mas que voltaria logo. Ele deixou com a menina um ovo, do qual ela deveria cuidar a todo custo. Além disso, um aviso: ela estava proibida de entrar em um cômodo específico, o quarto da dor e da morte.

Assim que o homem saiu, a menina começou a ficar curiosa com as informações que tinha acabado de receber e não deu outra: ela entrou no tal quarto proibido. No cômodo dos horrores ela encontrou uma bacia cheia de sangue e os restos mortais de diversas garotas. Além disso, havia um grande machado.

Assustada com a cena que tinha acabado de ver, a garota deixou o ovo cair ao chão. Em vez de uma mistura de clara, gema e casca, o ovo quebrado se transformou em sangue, um sangue que a menina tentava limpar a todo custo, mas sem sucesso algum.


Quando o pedinte voltou para a casa de ouro e viu o ovo quebrado e ensanguentado, ele arrastou a moça até o quarto proibido e a mutilou. Em seguida, voltou à casa das irmãs e roubou mais uma jovem, que acabou tendo o mesmo destino que o da primeira. Finalmente, ele voltou buscar a terceira irmã.

Essa jovem era mais desconfiada e, quando recebeu o ovo, o escondeu antes de entrar no quarto proibido. Assim que descobriu os corpos desmembrados de suas irmãs, ela juntou os membros aos corpos e as ressuscitou. Quando o pedinte voltou e viu que não havia sangue no ovo, ele disse que a garota havia passado no teste e seria sua noiva verdadeira.

Como um presente de casamento, a garota pediu a ele uma cesta de ouro, para que ela pudesse levar a seu pai. Secretamente, ela escondeu suas duas irmãs na cesta. Para disfarçar sua ausência, a jovem posicionou uma caveira à janela, para dar a impressão de que ela estava ali, observando o noivo. Além disso, a garota se cobriu de mel e penas, para poder se disfarçar de pássaro. Algum tempo depois, quando o pedinte e seus amigos chegaram para o casamento, os irmãos das meninas trancaram todos na casa e os queimaram vivos. Fim.

2 – As três folhas da serpente


Mais uma obra dos Irmãos Grimm, então: prepare-se. Um poderoso rei tinha uma filha que era muito bonita, mas também muito estranha. A princesa tinha muitos admiradores, mas sempre se recusava a casar-se com os medrosos que não concordavam com seu pacto de amor bem simples e razoável: se ela morresse antes do marido, ele deveria ser enterrado vivo ao lado dela.

A lógica usada pela moça era a de que se o esposo a amava mais do que tudo, a vida não faria sentido a ele depois que ela morresse e, por isso, ele não deveria querer outra coisa a não ser morrer junto a ela.

Enquanto isso, longe dali, mas nem tanto, um jovem rapaz saía de casa para ganhar dinheiro como soldado. Ele participou de várias batalhas, sendo que muitas delas foram responsáveis pela morte de seus amigos, mas o jovem continuava, firme e forte, sua vida de soldado. A bravura do rapaz chamou a atenção do rei, que deu a ele um tesouro valioso e o nomeou cavaleiro da corte.
Enquanto visitava o castelo do rei, o jovem acabou se apaixonando por uma bonita, porém estranha, jovem princesa. Ele inclusive concordou com as condições que ela exigia para aceitar o casamento. Ou seja: era amor.

Os dois viveram felizes por muitos anos até que a princesa ficou doente e morreu. O príncipe-soldado começou a pensar em uma maneira de fugir de sua promessa, mas os guardas do castelo o jogaram junto ao corpo da princesa, para que ele morresse também.

Enquanto estava ali, trancado na tumba de sua amada, o príncipe viu uma serpente se aproximando. Sagaz, ele logo matou o animal, para impedir que ele devorasse o corpo de sua esposa. Em seguida, outra serpente se aproximou, acompanhada de três folhas, que colocou nas feridas da serpente morta, trazendo-a de volta à vida. As duas serpentes desapareceram, mas as folhas ficaram ao chão, e o príncipe as usou para trazer a princesa de volta à vida. Os dois escaparam da tumba e voltaram ao castelo.

As folhas mudaram totalmente a princesa, que se apaixonou pelo capitão do navio que a levava ao castelo. Os dois planejaram jogar o príncipe no mar para, então, casarem-se. Um funcionário do navio viu a cena e pulou na água para salvar o príncipe. Os dois conseguiram, magicamente, chegar ao castelo antes da princesa e contaram ao rei tudo o que havia acontecido.

Quando a princesa e o capitão retornaram, o rei os condenou à morte e os mandou de volta ao mar, em um navio cheio de buracos. The end.

3 – A garota sem mãos
Um moleiro estava cortando árvores quando se deparou com um velho, que, vendo o rosto miserável do moleiro, ofereceu a ele todas as riquezas do mundo em troca de tudo o que estava atrás dele. Pensando que apenas uma macieira havia sobrado, o moleiro rapidamente aceitou a oferta do velho, que prometeu voltar depois de três anos.

O moleiro voltou feliz para casa, mas encontrou sua filha ao lado da árvore de maçã. Quando o homem velho retornou, a filha do moleiro tentou se proteger dentro de um círculo de giz que ela mesma desenhou no chão. Assim ela seria pura demais para que aquele demônio a tocasse.

Frustrado, o demônio proibiu o pai de dar água à filha, assim ela não poderia se lavar. As lágrimas da menina serviram para que toda a impureza de seu corpo sumisse. Assim ela ficava sempre pura. O demônio então ordenou que o moleiro amputasse as mãos da menina com seu machado. As lágrimas da garota mais uma vez a ajudaram e, depois de perder as mãos, elas impediram que seu sangue fosse drenado.

O demônio percebeu que havia perdido a briga e foi embora. Logicamente, a garota decidiu sair de casa depois dos últimos acontecimentos. Ela andou muito durante a noite e, de repente, por motivos óbvios, ficou com muita fome. Foi então que a garota encontrou o jardim de um palácio, cheio de árvores de maçãs e peras suculentas. O jardim, porém, era cercado por um fosso gigante.


Ela começou a rezar e, de repente, um anjo apareceu e drenou o fosso, para que a menina pudesse atravessá-lo e se alimentar. No dia seguinte, um dos guardas do palácio afirmou ter visto um fantasma sem mãos entre as árvores. Intrigado, o rei se escondeu no jardim e viu a garota atravessar o fosso e pegar uma pera na noite seguinte. Encontrando a jovem, o rei decidiu casar-se com ela, presenteando-a com um par de mãos de prata.

Infelizmente o demônio ainda estava furioso, alegando que a garota pertencia a ele. Quando o rei teve que viajar para a guerra, o demônio interceptava as cartas que ele mandava para casa. Ele enviou uma carta à mãe do rei, ordenando que ela matasse sua esposa e seus filhos. Incapaz de matar os próprios netos, a mulher os ordenou a caçar dois veados, para enviar os olhos e as línguas dos animais como prova de que havia matado as crianças.

Quando o rei percebeu o que tinha acontecido ficou desesperado e prometeu não beber nem comer até encontrar sua esposa e seus filhos. Ele levou sete anos até descobrir sua esposa em uma fazenda perto de seu palácio – as mãos dela tinham ressurgido nesse meio tempo. Fim.


Fonte:List Verse

1 comentários:

Mais lidas Todo blog