quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Apesar dos danos causados em ambientes e na vida das pessoas, alguns eventos colaboraram para a evolução dos locais, para a economia e até para a ciência
A História está repleta de eventos de estragos colossais, tragédias sem sentido que surgiram do nada e mataram um número extraordinário de pessoas. Porém, nem todos os grandes desastres foram responsáveis por causar apenas coisas ruins.
De vez em quando, uma tragédia, apesar de ser tremendamente horrível para os envolvidos, transforma para melhor uma situação ou ambiente. Os acontecimentos que você verá abaixo podem mostrar um pouco que, algumas vezes, o mal vem para o bem.

6 – Furacão Katrina melhorou a saúde infantil

O Katrina foi um dos furacões mais mortais a atingir os Estados Unidos, que matou cerca de duas mil pessoas e deixou 85% da cidade de Nova Orleans debaixo d`água. O rescaldo da inundação revelou uma cidade em ruínas, com estragos de grandes dimensões no valor de cerca de 80 bilhões de dólares, gerando ainda uma crise de falta de moradia. Por outro lado, a tragédia favoreceu uma melhora da saúde das crianças dos locais atingidos.
Antes do Katrina, a concentração de chumbo no solo de Nova Orleans era surpreendentemente alta, assim como os níveis do elemento no sangue das crianças, como consequência. Quando o furacão atingiu a cidade, o grande volume de água da enchente percorrendo a cidade “lavou” a maior parte do solo contaminado.
De acordo com um estudo de 2010, os níveis de chumbo caíram 39%, como resultado direto do Katrina, tendo uma queda correspondente nas taxas do elemento no sangue de crianças nascidas depois da tempestade. Em outras palavras, esta grande tragédia resultou em uma nova geração de crianças saudáveis​​, livre dos efeitos maléficos do excesso de chumbo.

5 – O massacre que levou à independência indiana

O Massacre de Amritsar contabilizou a morte de 400 manifestantes indianos desarmados, que foram aniquilados por soldados britânicos. Foi um desperdício cruel de tantas vidas e sem sentido algum. Uma tragédia do qual nada de bom poderia ter vindo, a não ser quando chegou ao conhecimento de Mohandas Gandhi (ou Mahatma).
Antes do massacre, Gandhi havia sido um pragmático, apoiando a Grã-Bretanha na Primeira Guerra Mundial na esperança de ganhar algum grau de autonomia para a Índia. No entanto, após o massacre em 1915, sua relação persistente com o império britânico foi completamente destruída.
Como resultado direto dessa tragédia horrível, Gandhi tornou-se um defensor feroz da independência indiana, criando o seu movimento de não-violência que mudou a história do país. Portanto, sem o horrível massacre, poderia não ter havido na Índia moderna o maior exemplo de protesto pacífico da História.

4 – Os desastres nucleares que ajudaram a vida selvagem

Dependendo de sua idade, as palavras "desastre nuclear" provavelmente vai evocar um dos dois nomes: Chernobyl ou Fukushima. Ambas foram horríveis tragédias que marcaram a história de sua nação e de todo o mundo. Os dois desastres despejaram quantidades absurdas de radiação no meio ambiente, cujos efeitos ainda serão sentidos ao longo de décadas. No entanto, ambos têm feito a sua parte para ajudar a vida selvagem local.
Parece loucura, mas pesquisas observaram que terras radioativas podem ser benéficas para os animais. Como resultado da crise de Fukushima, os cientistas agora são capazes de acompanhar o previamente elusivo atum rabilho pela quantidade de césio em seu corpo, ajudando conservacionistas a preservar essa espécie que está rapidamente desaparecendo.
Em Chernobyl acontece algo ainda mais surpreendente. Uma vez que a cidade foi abandonada devido à radiotividade, os animais criticamente em perigo de extinção na Ucrânia se mudaram de volta e fixaram residência. A área é agora considerada como um santuário da vida selvagem acidental, com populações animais crescendo em níveis nunca vistos em décadas.

3 – O terremoto que impulsionou a economia

Em 1964, um dos terremotos mais poderosos já registrados na História destruiu enormes extensões do Alaska, matando 139 pessoas e causando milhões de dólares em danos. Foi uma tragédia natural chocante que fez enormes estragos, mas que impulsionou o desenvolvimento desse estado norte-americano.
Cinco anos após o terremoto, os analistas Howard Kunreuther e Douglas Dacy publicaram uma análise econômica do desastre e os esforços de reconstrução posterior. Eles descobriram que as enormes quantias de dinheiro destinadas ao estado devastado, além dos empréstimos do governo para os projetos de reconstrução foram rapidamente recuperados a favor da economia em curto prazo.
Eles ainda concluíram que muitos habitantes do Alaska se tornaram mais produtivos depois do terremoto. Obviamente, isso não compensa o sofrimento e a perda de vidas experimentada por aqueles afetados, mas mostra que alguma coisa boa (ainda que pequena) pode vir até mesmo das piores tragédias.

2 – A tragédia na Antártida que mudou a ciência

Em 1912, Robert Falcon Scott partiu para reivindicar o Pólo Sul para os britânicos. O que se seguiu foi uma sequência de acontecimentos trágicos. Primeiro porque Scott e sua equipe não conseguiram chegar ao destino antes de seus rivais da Noruega, pois desperdiçaram um dia coletando amostras de rochas e depois ficaram presos por uma tempestade, onde morreram a menos de 12 horas de um local seguro.
Com isso, a expedição foi um fracasso em todos os sentidos, exceto pela parte que ela redefiniu ramos inteiros da ciência. Quando a equipe de resgate encontraram Scott e seus homens soterrados pela neve, eles também descobriram vários sacos de amostras de rochas. Na análise, uma dessas rochas acabou por ser o fóssil de um gênero extinto de samambaia chamado Glossopteris.
E isso só aconteceu para provar que os continentes já foram unidos. Em 1912, ninguém acreditava que os continentes mudaram ao longo do tempo. Então este fóssil apareceu em um local incrivelmente remoto da Antártida, coincidindo com amostras encontradas na Índia, África e Austrália.

1 – O fogo que criou uma metrópole moderna

O grande incêndio de Chicago foi uma tragédia de grandes proporções ocorrida no verão de 1871, que causou a morte de trezentas pessoas, além de deixar noventa mil desabrigadas. Estima-se que o incêndio tenha causado mais de duzentos milhões de dólares em danos na cidade.
Naquela época, Chicago era o maior produtor mundial de madeira. Prédios, casas e até mesmo ruas, eram quase todas construídas com esse material. Naquele verão de 1871, uma temporada extremamente quente e seca, com apenas um quarto da precipitação normal, criou o cenário propício para um grande incêndio. Ele foi iniciado num estábulo na zona sul da cidade e rapidamente espalhou-se, devido a ventos secos e fortes, devastando toda a cidade
O incêndio foi considerado um dos piores desastres da história americana. Contudo, há uma escola de pensamento que sugere o incêndio foi diretamente responsável por transformar as ruínas dessa pequena cidade em uma grande metrópole.
Antes do incêndio, Chicago era uma bagunça, uma cidade animada, mas apertada e ilógica habitada por 334 mil pessoas. O fogo mudou tudo isso. Com enormes áreas da cidade transformadas em cinzas, a chance de reconstruir também ofereceu a oportunidade de criar uma nova e melhor cidade de Chicago.
Um novo plano de reestruturação mais condizente com uma metrópole moderna foi definido, dando origem a grande cidade que Chicago é atualmente. Sem o fogo, a terceira cidade mais populosa dos Estados Unidos provavelmente agora seria apenas mais um remanso. 

0 comentários:

Postar um comentário

Mais lidas Todo blog